Político dos EUA acusa Beyoncé de satanista e fingi ser negra

Político dos EUA acusa Beyoncé de satanista e fingi ser negra

MUNDO  KW Miller, candidato ao Congresso pela Flórida (EUA), viralizou no Twitter neste fim de semana falando de Beyoncé. Segundo KW, a cantora “finge ser negra”, quando na verdade é uma mulher italiana.

“Beyoncé nem é afro-americana. Ela está fingindo, por exposição. Seu nome verdadeiro é Ann Marie Lastrassi. Ela é italiana. Tudo isso faz parte da agenda do ‘Soros Deep State’ para o movimento Black Lives Matter. Beyoncé, você está avisada!”

O candidato, ainda escreveu que “Formation”, o single de Beyoncé contra a brutalidade policial com afro-americanos, na verdade é “demoníaca”. O tweet teve 6,5 mil compartilhamentos, 1,4 mil curtidas e 4,3 mil comentários em 16 horas.

“Vocês todos sabem que ‘Formation’ foi uma mensagem secreta codificada para os globalistas, eu espero. A música admitiu claramente que ela era demoníaca e que adorava satã em igrejas localizadas no Alabama e na Louisiana. Ela mantém símbolos satanistas em sua bolsa”.

Beyoncé não se pronunciou sobre os tweets de KM Willer. No Twitter, o político se apresenta como alguém “que não é non sense” e que “não pode ser comprado”. Também afirma acreditar no “excepcionalismo americano”.

Patti LaBelle também entrou na mira dele

Ainda no Twitter, KW Miller afirmou que Patti Labelle é “um bichinho de estimação dos Illuminatti”. Para ele, a música “Somebody Loves You Baby (You Know Who It Is)” é uma mensagem para o diabo.

 

Deixe uma resposta