Criança baleada com arma do pai morre no hospital

Criança baleada com arma do pai morre no hospital

Pai pode responder na Justiça sobre ocorrido; circunstâncias de morte ainda não foram esclarecidas.

O menino Ioseph Bismarque da Silva, de nove anos, morreu após ser atingido com um tiro no pescoço na tarde deste domingo (11) no bairro Amazonino Mendes, na Zona Norte de Manaus. A Polícia Civil investiga as circunstâncias do ocorrido. A arma era do pai da criança, um Policial Militar.

O caso aconteceu por volta das 14h30. Segundo a prima da vítima, Tuanne Dias da Silva, de 23 anos, o menino estava passando o fim de semana na casa do pai quando o caso aconteceu. No local, além da criança, estavam o pai e a madrasta de Ioseph. A delegada Juliana Viga, titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), disse que um menino de nove anos, que era cunhado de Ioseph, também estava na casa.

“Por volta de 12h a mãe dele ligou e falou com ele, ele disse que estava tudo bem, que estava almoçando. Quando foi umas duas horas depois ela recebeu a ligação do pai dizendo que ele tinha ido pro quarto e tinha atirado nele mesmo”, disse Tuanne.

Ainda segundo a delegada, o pai, o soldado da Polícia Militar José Ribamar da Silva Ribeiro, acionou o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu), mas acabou levando Ioseph para o Hospital da Criança Joãozinho em seu próprio carro. O menino não resistiu ao ferimento e morreu na unidade de saúde.

O corpo dele foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML). A família informou que a mãe da criança registrou o caso na Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca).

Corpo foi levado ao IML; morte está sob investigação (Foto: Indiara Bessa/G1)

A arma usada no acidente era uma pistola de uso restrito da Polícia. O cunhado e a madrasta de Ioseph, que estavam na casa no momento do tiro, devem prestar depoimento na delegacia. Outras pessoas ainda serão ouvidas.

O pai e a mãe do menino já prestaram depoimento. Segundo a delegada, o pai pode responder à Justiça. O PM vai assinar um termo de compromisso em relação ao ocorrido.

“A princípio, ele vai responder por um crime chamado omissão de cautela, porque nós suspeitamos que, de repente, talvez a arma não estivesse guardada em um local seguro, mas isso é só uma suspeita, isso vai ser apurado. Ele foi ouvido nesse sentido, da omissão de cautela, que é um crime previsto no estatuto do desarmamento”, afirmou.

Familiares disseram, ainda, que esperam justiça e que a história seja esclarecida. “A gente quer saber como que uma criança de nove anos que era feliz, sempre foi muito bem cuidada, sempre recebeu amor, pega uma arma e atira em si mesmo desse jeito?”, disse Tuanne.

 Fonte e Foto: G1 Amazonas

Deixe uma resposta