’01/06/2020’

Agosto Dourado: Começa a campanha de incentivo à amamentação no Amazonas

Agosto Dourado: Começa a campanha de incentivo à amamentação no Amazonas

A abertura da Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM), realizada nesta quinta-feira (1º/08), no Instituto da Mulher Dona Lindu, destacou importância do pai, da família e dos profissionais de saúde para o empoderamento da mãe no período de amamentação.

Durante todo o mês do Agosto Dourado, que incentiva o aleitamento materno, ações da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) serão realizadas nas maternidades do Estado, nos 23 postos de coleta de leite humano da capital e no interior e Centros de Atenção Integral à Criança (Caic). O Agosto Dourado será finalizado com uma Caminhada de Sensibilização, no dia 28, na Ponta Negra.

A secretária-executiva adjunta de Atenção Especializada da Capital, Dayana Mejia de Souza, falou no evento sobre a sua experiência na amamentação e a importância de envolver o pai e toda a família na atividade.

“Nós (mulheres) somos fortes, empoderadas além de fazer tudo isso, nós somos capazes de gerar a vida e nutrir a vida. É importante que no momento da amamentação o pai esteja junto. O processo de alimentar, às vezes, é dolorido, uma fase difícil, uma fase de transição. Mas se tiver alguém do lado, se torna mais fácil”, disse a secretária.

De acordo com a coordenadora Estadual de Saúde da Criança, Rhamilly Amud Karam, a Semana Mundial de Aleitamento Materno traz neste ano, no mundo todo, o tema “Empoderar mães e pais, favorecer a amamentação”. Segundo a coordenadora, a ideia é trabalhar a construção de uma rede de apoio às mães e pais.

“É um tema superimportante, porque é para empoderar mães e pais e favorecer a amamentação. Por que foi escolhido este tema? Para a gente trabalhar e favorecer a amamentação, nesse sentido da rede de apoio a amamentação. Quando você tem esse trabalho de equipe feito em casa, onde a mãe tem todo um apoio, ela consegue amamentar”, disse a coordenadora.

O casal, Jacqueline Barbosa e Daniel Muniz são pais da pequena Mariana de sete meses, participaram da SMAM e contaram sobre como estabeleceram um vínculo familiar importante para o aleitamento materno. “Principalmente no começo, o apoio mesmo, de incentivar a amamentação e também de pegar água quando precisa. Normalmente as mamães sentem muita sede, principalmente no comecinho em que o bebê é muito grudado na mãe, então é importante o pai fazer tudo o que precisa em volta, para manter tudo correndo bem”, disse o pai.

Homenagem – Na abertura da SMAM, nesta quinta-feira (1º/08), uma placa em agradecimento pelas doações feitas ao Banco de Leite Humano foi entregue pela secretária-executiva adjunta de Atenção Especializada da Capital, Dayana Mejia, às mães com maior número de doações. Com 25 litros de leite doado, Marilbe dos Anjos foi a primeira a receber a menção honrosa.

”Eu amamento minha filha e ainda tenho muito leite. Toda semana a equipe vai buscar o leite na minha casa. Só neste ano foram 25 litros que ajudam a alimentar outras crianças”, destacou.

Além das mães, profissionais da Susam e taxistas que ajudam no transporte do leite doado, receberam as homenagens.

Alimento completo – O leite materno é um alimento completo que apresenta uma fácil digestão e contém os nutrientes e a quantidade de água necessária, além de fornecer anticorpos para a criança, ajudando na sua imunidade.

O Ministério da Saúde defende que o bebê seja alimentado apenas do leite materno nos seus seis primeiros meses de vida. Sendo um alimento completo, a criança não precisará comer ou beber nenhum outro alimento, inclusive água e chá. O leite materno é o único alimento que fornece nutrientes importantes para o desenvolvimento cerebral, que combate infecções, protege a criança contra bactérias e vírus, e evita diarreias. Ainda segundo o Ministério da Saúde, o recém-nascido alimentado apenas com o leite materno tende a ser recuperar de doenças com mais facilidade.

Deixe uma resposta