Cortejo do corpo de Zezinho Corrêa passa pelo Teatro Amazonas antes de enterro

Cortejo do corpo de Zezinho Corrêa passa pelo Teatro Amazonas antes de enterro
Cortejo de Zezinho Corrêa passou pelo Teatro Amazonas antes de ser sepultado — Foto: Eliana Nascimento/G1 AM

Amigos e familiares prestaram as últimas homenagens ao cantor Zezinho Corrêa, que morreu neste sábado (6), aos 69 anos, após complicações da Covid-19. O trajeto do cortejo percorreu as principais ruas de Manaus em direção ao Teatro Amazonas, ícone turístico e onde o artista se apresentou ao longo da carreira. O enterro ocorreu no Cemitério São João Batista.

O cantor estava internado há mais de um mês, após ter testado positivo para Covid-19. Ele ficou famoso nos anos 90 com o hit “Tic Tic Tac”, do grupo Carrapicho.

O velório do cantor teve início por volta das 13h no Balneário José Ribeiro Soares, onde ele trabalhava à frente de eventos culturais. A cerimônia foi restrita à família por conta das medidas de restrição impostas pela pandemia.

Do lado de fora do balneário, fãs aplaudiram o cantor.

O cortejo seguiu em um carro do Corpo de Bombeiros pelas principais vias da cidade. Dezenas de veículos acompanham o trajeto até o cemitério.

Trajetória

José Maria Nunes Corrêa, natural da comunidade de Imperatriz, em Carauari, ficou conhecido nacionalmente e internacionalmente após o sucesso “Tic Tic Tac”, na década de 1990, quando liderava a banda Carrapicho.

Zezinho Correa da banda Carrapicho — Foto: Katiúscia Monteiro/ Rede Amazônica

Antes de se dedicar à carreira de cantor, Zezinho também fez curso de formação de atores, no Rio de Janeiro, e estudou interpretação e dança. Como ator, Zezinho Corrêa fez parte do Grupo de Teatro Experimental do Sesc.

Zezinho também investiu em carreira solo, produzindo projetos musicais. Entre os destaques estão a sua participação no musical “Boi de Pano”, durante o Festival Amazonas de Ópera de 2000; a gravação do seu CD solo no ano de 2001, no Teatro Amazonas e a participação no musical de Natal “Ceci e a Estrela”, em 2017.

No dia 21 de dezembro de 2020, o cantor subiu ao palco do Teatro Manauara com o show “Banho de Frevo – Zezinho Corrêa canta Elba Ramalho”; e no dia 28 de dezembro, o cantor participou do lançamento online do livro “Eu Quero é Tic, Tic, Tac”, escrito pelo jornalista e produtor cultural Fabrício Nunes em homenagem à carreira de Zezinho. O lançamento foi transmitido do Centro Cultural Palácio Rio Negro.

CONFIRA FOTOS DO ENTERRO

Foto: Euzivaldo Queiroz / AgNews
Foto: Euzivaldo Queiroz / AgNews
Foto: Euzivaldo Queiroz / AgNews
Foto: Euzivaldo Queiroz / AgNews
Foto: Euzivaldo Queiroz / AgNews

==========

Fonte | G1 Amazonas

Deixe uma resposta