Terceirizados do Hospital Platão Araújo paralisam serviços para cobrar salários em atraso em Manaus

Terceirizados do Hospital Platão Araújo paralisam serviços para cobrar salários em atraso em Manaus
Terceirizados do Hospital Platão Araújo paralisam serviços para cobrar salários em atraso em Manaus — Foto: Eliana Nascimento/G1 AM

Terceirizados do setor de serviços gerais e manutenção do Hospital Platão Araújo, em Manaus, paralisaram as atividades na manhã desta segunda-feira (22). Eles afirmam que estão com pagamentos atrasados.

G1 entrou em contato com a empresa responsável pelos terceirizados e também com o governo e aguarda posicionamento.

No protesto, os funcionários se concentraram em frente ao hospital, com cartazes para cobrar salários.

Rocicleide Fernandes, de 40 anos, disse que a empresa de limpeza completa sete meses atuando no hospital, mas os funcionários estão há três meses sem receber.

“A gente assina o contracheque que eles pedem para assinar, pois se a gente não assinar, não recebemos. Mas, estamos assinando e continuamos não recebendo, só tem promessa”, disse.

Rocicleide disse que, para sobreviver, está contando com a ajuda do filho e da nora, já que o marido dela está desempregado.

“Eu não vivo de aluguel, mas meus colegas sim, têm muitos que já foram despejados, ou sem energia. A gente só recebe o vale-transporte para vir trabalhar. A gente faz nosso trabalho tudo certo, só queremos receber”, contou.

Além dos terceirizados da limpeza, funcionários da empresa de manutenção do hospital também denunciaram a falta de pagamento. Um dos trabalhadores, que não quis de identificar por medo de represália, disse que recebe somente vale-transporte e alimentação.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

“Estamos, exatamente, com quase cinco meses de salário em atraso. A última vez que recebemos foi em janeiro deste ano, mas referente ao salário de outubro do ano passado”, disse.

Os terceirizados disseram que a paralisação deve continuar até que as empresas se posicionem sobre o pagamento dos funcionários.


Fonte: G1 Amazonas

Deixe uma resposta