Bairros de Manaus recebem pulverização contra mosquito da dengue e zika

Bairros de Manaus recebem pulverização contra mosquito da dengue e zika

Em mais uma ação para o controle da dengue, zika e chikungunya, transmitidas pelo Aedes aegypti, a Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), tem intensificado a aplicação de inseticida de Ultra Baixo Volume (UBV) Pesada, capaz de abranger cem quarteirões por dia, atingindo aproximadamente 2.500 imóveis.

Conforme o chefe do Núcleo de Entomologia e Controle Vetorial da Semsa, Edvaldo Raimundo Nazaré da Rocha, a UBV Pesada é uma técnica em que o equipamento de pulverização do inseticida é acoplado em um veículo, o que permite atingir um maior número de quarteirões e imóveis em cada território.

“É uma técnica diferente da UBV Costal em que equipamento de pulverização é individual, e que atinge um menor número de imóveis”, explica Edvaldo.

Para executar a ação, a Semsa organizou uma programação para o mês de abril com o objetivo de atingir as áreas de maior registro de casos de dengue, zika e chikungunya. Nesta terça-feira, 13/4, a UBV Pesada foi direcionada para o bairro Compensa, na zona Oeste, com a conclusão do segundo ciclo de aplicação do inseticida em um território de 200 quarteirões.

Na zona Oeste, a programação para o mês de abril ainda inclui quarteirões nos bairros Alvorada, Redenção e Nova Esperança. “Com mais trabalho no bairro da Compensa, a estratégia irá atingir este mês 514 quarteirões na zona Oeste de Manaus”, informa Rocha.

Na zona Centro-Sul, a programação também já está em execução nos bairros Flores e Japiim, e seguirá para os bairros Parque 10 de Novembro e Aleixo, ainda no mês de abril, com o objetivo de atuar em 500 quarteirões nos quatro bairros.

A partir desta quarta-feira, 14, será iniciado o trabalho de UBV Pesada nos bairros Coroado, São José, Jorge Teixeira, Tancredo Neves e Armando Mendes, na zona Leste, e mais Nova Cidade, Cidade Nova, Monte das Oliveiras, Santa Etelvina e Novo Aleixo, na zona Norte.

Casos

O município de Manaus registrou este ano, segundo dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan_NET/Sinan_Online), atualizados na última segunda-feira, 12, um total de 2.190 casos notificados de dengue, zika e chikungunya, o que já representa 89% do total de casos das três doenças registrados em 2020, quando foram notificados 2.469 casos.

O chefe do Núcleo de Controle da Dengue da Semsa, Alciles Comape, explica que o aumento de notificações reflete mais especificamente um aumento no número de casos de dengue, já que das 2.190 notificações de casos de doenças transmitidas pelo Aedes este ano, 2.130 foram por dengue.

“Com isso, desde o mês de janeiro a Semsa tem intensificado as ações de combate ao Aedes aegypti, com o trabalho de controle vetorial e de educação em saúde, para orientar a população sobre as formas de prevenção e eliminação dos criadouros do mosquito”, afirma Alciles.

As ações envolvem tanto o bloqueio químico, com a aplicação de inseticida para eliminação do mosquito, como o bloqueio mecânico para a eliminação dos criadouros a partir do trabalho dos agentes de endemias e agentes comunitários de saúde, que realizam visitas domiciliares para a implantação da estratégia “10 Minutos contra o Aedes”.

“É mais uma estratégia utilizada para envolver os moradores no combate ao Aedes, em que cada um pode realizar a vistoria semanal no domicílio, eliminando ou realizando a limpeza de recipientes que podem acumular água, como tonéis, caixa d’água, calhas, ralos, piscinas, vasos de planta, lajes, pneus e garrafas. Essa vistoria leva apenas 10 minutos e se for feita de forma semanal vai quebrar o ciclo de reprodução do mosquito, da larva até a forma adulta, que leva de sete a dez dias”, alerta Alciles.


Fonte: Am Post

Deixe uma resposta