Projetos urbanos da Prefeitura de Manaus ganham imagens de realidade virtual

You are currently viewing Projetos urbanos da Prefeitura de Manaus ganham imagens de realidade virtual
Projetos urbanos da Prefeitura de Manaus ganham imagens de realidade virtual 1
Foto: Divulgação/Implurb

Manaus/AM – Entrando na fronteira da tecnologia da realidade virtual, a Prefeitura de Manaus, via Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), está produzindo imagens para ter a sensação de imersão viabilizada por óculos 3D e visão 360° para projetos urbanos e arquitetônicos lançados pelo prefeito David Almeida, dentro do programa “Mais Manaus”.

Ao reunir elementos virtuais, paisagens reais e projeções arquitetônicas para melhor apresentação, as imagens eletrônicas do Mirante da Ilha de São Vicente e do Local Casa de Praia foram geradas por softwares 3D, permitindo sua visualização no ângulo de 360°, configurando o ambiente virtual, facilitando a manipulação do projeto e seus ajustes mais próximos da realidade. A produção foi feita por equipe de design e de modelagem em 3D do Implurb.

No caso dos dois projetos, o produto de realidade virtual gerado leva o usuário a um ambiente virtual, produzido por um sistema computacional, com efeitos visuais, permitindo imersão no simulado virtualmente. A sensação de imersão é ampliada com o uso de óculos 3D, mas pelo celular, a partir de uma rede social, o usuário pode ter a visão em 360° ao seu redor, apenas movimentando a tela.

“O uso de novas tecnologias, como a realidade virtual, permite ter uma maquete, uma modelagem antes do espaço construído, visualizando como ficará o projeto arquitetônico. O ‘Nosso Centro’ começa pela Mirante da Ilha de São Vicente, uma importante área que tem ações previstas para ganhar uma nova dinâmica para quatro ruas que convergem naquele ponto: a Bernardo Ramos, um trecho da 7 de Setembro, Frei José dos Inocentes e Governador Vitório. Elas convergem para o Largo da Ilha, que será construído como grande atração turística, cultural, de lazer e ambiental para a cidade”, explicou o diretor de Planejamento do Implurb, arquiteto e urbanista Pedro Paulo Cordeiro.

Nas imagens de realidade virtual, é possível notar a integração do Largo com o Mirante da Ilha, criando um espaço contínuo de atratividades e paisagem sem barreiras. O prédio que terá reuso na área pode ser observado de vários ângulos e será mais vazado, permitindo a visão para o rio Negro.

O entorno também é percebido, a ambiência e o conjunto da paisagem integrada, podendo se observar detalhes do imóvel, paisagismo, piso e até o céu claro.

O imóvel terá atividades de cultura, gastronomia, arte, lazer e turismo, aproveitando sua verticalização existente. “Será um espaço público de qualidade para a capital e que servirá de exemplo para mostrar que vários prédios abandonados têm potencial, podem e devem ser reconvertidos, apresentando novos usos”, comentou o arquiteto.

Hoje, o espaço tem muros altos que acabam confinando, inclusive, belos exemplares da arquitetura, casarios e imóveis belos na Bernardo Ramos. Com o Largo, a ideia é deixar esses imóveis de frente para o complexo e o rio.

Para o diretor-presidente do Implurb, engenheiro Carlos Valente, é imprescindível fazer uma virada arquitetônica e resgatar a pujança econômica do Centro, se transformando em área turística mundial.

Carlos Valente lembrou que o “Nosso Centro” tem foco no incentivo à construção de habitações e na diversidade e multiplicidade da escala de pessoas. “Se achava que o Centro deveria ser mais comercial, de serviços ou turismo. Na realidade tem que se buscar uma vivência harmônica integrada de todos os grupos e múltipla, de todos os usos. Sem esquecer do uso habitacional. Isso vai promover a reabilitação”, disse.

Reabilitar é um conceito mais amplo do que requalificar e revitalizar, fazendo a integração de usos, convivências e ambiências com o patrimônio histórico.

“E Manaus se coloca como proposta para chamar atenção nacional e internacional”, completou Valente.

Projetos urbanos da Prefeitura de Manaus ganham imagens de realidade virtual 2
Foto: Divulgação/Implurb

Casa de Praia

Em uma outra imagem de realidade virtual, o usuário pode fazer um tour pelo projeto de reconversão do antigo Local Casa de Praia, desenvolvido para gestão da Secretaria Municipal de Empreendedorismo e Inovação (Semtepi), também dentro do “Mais Manaus”.

“Nossos arquitetos e equipe trabalharam no desenvolvimento da proposta, de 1.650 metros quadrados, e um dos pontos altos da reconversão, além do aproveitamento da biofilia, do contato com a natureza e o rio, será a acessibilidade universal. O prédio do Local Casa de Praia sempre se caracterizou por ter vários níveis de acesso, todos acessados por escadas. E agora eles darão lugar a rampas, que farão as conexões entre os cenários e níveis que levam até o calçadão de pedras portuguesas com desenhos e mosaicos”, explicou Valente.

Com vista privilegiada para o rio Negro e a praia da Ponta Negra, o local tem projeto para abrigar restaurante, central de artesanato, áreas para exposições artísticas, ambientes abertos e fechados, playground, áreas de convivência, passarela, mirante, quiosques e ações, com estrutura para receber shows.

No último ano, as equipes de desenvolvimento, criação, arquitetura, engenharia e urbanismo têm se debruçado na construção de projetos para dar uma nova dinâmica a Manaus, conforme determinação do prefeito.

Projetos

O Implurb é o órgão que atua diretamente para capitanear projetos urbanísticos e arquitetônicos, cujas operações serão, futuramente, frutos de licitações, chamamentos públicos e outras modalidades previstas na legislação.

Projetos urbanos da Prefeitura de Manaus ganham imagens de realidade virtual 3
Foto: Divulgação/Implurb

Realidade virtual

Ao longo dos anos e com a evolução da tecnologia, a realidade virtual ganhou nuances diferentes. Hoje tem muita base nos displays estereoscópicos (os populares headsets, óculos especiais para exibir o ambiente simulado), que servem como o meio pelo qual o usuário se conecta com o mundo virtual. Os antigos monóculos com imagens de pontos turísticos, simulando efeito 3D, já buscavam “transportar” pessoas para outros lugares.

A realidade virtual cria uma ilusão de profundidade através da estereoscopia, onde duas imagens diferentes são geradas, uma para cada olho. Assim, o cérebro interpreta que as duas são uma só, o que forja a sensação de realidade.

Essa tecnologia de realidade virtual, que começou com fotos, pode ser também usada em filmes e outros ambientes tridimensionais gerados no computador (como é o caso dos games).

Além dos games, a realidade virtual é empregada em diversas outras funções, como em treinamentos para soldados no exército. E treinamentos diversos vêm sendo feitos em realidade virtual, protegendo a integridade física dos indivíduos enquanto eles realizam as ações no ambiente simulado.

Com informações Implurb

Deixe uma resposta