’22/07/2019’

Durante cerimônia de posse, Wilson Lima afirma que plano de saúde da educação foi retomado

Durante cerimônia de posse, Wilson Lima afirma que plano de saúde da educação foi retomado
Fotos: Diego Peres/Secom

 

Fotos: Diego Peres/Secom

 

O governador Wilson Lima assinou, na manhã desta sexta-feira (18/01), o termo de posse que oficializou Luiz Castro como titular da Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc) e Alessandro Moreira como controlador-geral do Estado do Amazonas. Durante a solenidade, realizada no auditório da Sede do Governo, na zona oeste de Manaus, o governador afirmou que o plano de saúde dos servidores da educação está normalizado. Wilson Lima também reforçou a confiança que deposita nos empossados para comandar duas áreas consideradas fundamentais no processo de reconstrução do Amazonas.

“Alessandro é funcionário de carreira da Sefaz. Pude conhecer um pouco mais da competência dele ao longo do processo de transição, quando nos ajudou muito. É uma referência no que diz respeito aos contratos do estado, que tem papel fundamental nesse início de governo. Luiz Castro foi um batalhador durante todo o processo de construção desse projeto que vivemos juntos. Ele tem a responsabilidade de elevar a educação no Amazonas a um patamar superior, porque não podemos continuar tendo os índices que nós tivemos nos últimos anos. Agradeço por terem aceito o desafio”, disse Wilson Lima.

Em entrevista durante a cerimônia de posse, o governador destacou as primeiras medidas que estão sendo adotadas na área de educação, que incluem a valorização dos servidores da educação e melhorias na estrutura da rede estadual de ensino.

“Fui informado hoje mesmo, pelo meu novo secretário de educação, que o plano de saúde dos professores já está normalizado, depois que efetuamos o pagamento do valor que estava pendente. Estamos dando, já para esse mês de janeiro, um aumento de 9,38% para esses profissionais. Nós estamos encontrando o estado numa situação bem difícil e crítica, 251 escolas precisam de reformas, 37 correm o risco de não funcionar. Tivemos problemas também com a merenda escolar, que deveria ter saído da capital de balsa no dia 15 de dezembro, mas só começou a sair agora em janeiro”, ressaltou.

Fotos: Diego Peres/Secom

 

Trabalho de equipe – Luiz Castro destacou a importância da integração do Governo e sociedade para otimização dos resultados. “Vamos realizar um trabalho organizado, a partir da gestão transparente e com instrumentos eficazes de interlocução com a sociedade e com os professores, pedagogos e demais setores da educação e outras secretarias de estado. Precisamos colocar as mãos na massa com muita determinação e amor, e organizar a Seduc para cumprir bem o seu papel político-pedagógico”, afirmou.

Segundo o secretário de educação, um dos problemas a serem enfrentados com prioridade é a evasão escolar. Atualmente, disse ele, 77 mil jovens e adolescentes e jovens deixem de estudar porque não encontram um ensino atrativo e motivador. “Precisamos trabalhar, também, as demais capacidades e potenciais dos nossos jovens na cultura, esporte e no mundo do trabalho. Temos que preparar nossos jovens para esses desafios, desenvolvendo suas qualidades e suas competências para potencializar o processo educacional”.

Fundeb – Luiz Castro esclareceu que não há “sobras” do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), como havia sido noticiado em alguns veículos de comunicação. “Em 2018 foram aplicados mais de 61% dos recursos em pagamentos e abonos para os profissionais da educação, conforme boletim oficial do Fundeb aferido pela Seduc e pela Sefaz. Isso porque, em outubro, houve um pagamento de abono em pleno período eleitoral. Então não há sobras para fins de pagamento de abono. O que existe é que os créditos de dezembro vão se somar aos de janeiro para que nós possamos arcar com os custos do recomposição salarial dos servidores da educação”, explicou.

Escolas militares – O secretário antecipou que os critérios para ingresso nas escolas militares serão revistos e que mais uma instituição de ensino desta natureza deve ser construída. “Estamos em diálogo com a Polícia Militar e com o Corpo de Bombeiros e temos a previsão de, ainda no primeiro semestre, se nosso planejamento se concretizar, termos mais uma escola em parceria com o Corpo de Bombeiros. Queremos torná-las mais inclusivas, do ponto de vista social”.

Avaliação de contratos – O controlador-geral do Estado, Alessandro Moreira, alertou que o trabalho de avaliação de todos os contratos é imprescindível e é a principal determinação do governador, nos primeiros meses. “Nós temos todas as condições de reverter esse processo de desequilíbrio fiscal que o Amazonas enfrenta, tornar nosso estado próspero, com investimentos produtivos, mais empregos e ais geração de renda. A determinação é colaborar com todas as secretarias do estado para o equilíbrio das contas. Nesse aspecto, temos que revisar todos os contratos, reduzir custos e qualificar os serviços”, pontuou Moreira.

*Informações da Assessoria – Secom

Deixe uma resposta