“Mano Kaio” e “Sandrinho” continuam foragidos ordenando crimes, em Manaus

“Mano Kaio” e “Sandrinho” continuam foragidos ordenando crimes, em Manaus

 

Cerca de 14 detentos segue foragidos da justiça mesmo após um ano da fuga em massa do Centro de Detenção Provisório2 (CDPM 2), localizado no quilômetro 8 da BR-174, no Amazonas. Entre eles estão os perigosos traficantes Kaio Wellignton Cardoso dos Santos, o “Mano Kaio”, e Alexsandro Oliveira dos Santos, conhecido como “Sandrinho”. Eles tem ligação com diversos crimes na cidade de Manaus.

Os internos escaparam por um túnel, no dia 12 de maio de 2018, construído no Pavilhão 5 da unidade prisional. Os fugitivos são aliados do narcotraficante Gerson Carnaúba, vulgo Mano G, que está no presídio federal de Catanduvas, no Paraná, e foi um dos fundadores da facção criminosa Família do Norte (FDN), mas deixou a organização após uma briga com os outros líderes.

Após a fuga da CDPM 2 EM 2018, uma série de crimes foi registrado em Manaus em decorrência da briga entre as facções. “Mano Kaio” e “Sandrinho”, segundo fontes policiais, seriam homens de confiança de “Mano G”.

De acordo com o então titular da Seap, Cleitman Coelho, houve suspeita de facilitação na fuga dos detentos.

“Mano Kaio”

Traficante e homicida, “Mano Kaio” é apontado como o responsável pelo início de uma guerra entre facções no Amazonas. Contra Kaio pesa a acusação de pelo menos 60 assassinatos. Ele é suspeito também de esquartejar um dos principais traficantes de drogas do Estado, o Frankizinho do 40, em maio de 2013.

Sandrinho”

Suspeito de comandar o tráfico de drogas nos bairros São Jorge e Vila da Prata, “Sandrinho” é apontado como autor ou mandante demais de 15 homicídios.

Um dos assassinatos é de Glauciney Oliveira do Carmo, o “Glau”, e da namorada dele, identificada como Daiane Souza Pimentel. O crime aconteceu no 17 de julho de 2017, no estacionamento do Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto.

Suspeita de facilitação na fuga 

Na época, o diretor e diretor adjunto do CDPM 2 foram afastados dos cargos, após o, então, governador Amazonino Mendes determinar a abertura de um inquérito policial para investigar a suspeita de facilitação na fuga.

Até o momento, estão foragidos os seguintes detentos:

Adalberto Salomão Guedes da Silva

Alexsandro Oliveira dos Santos

Cristiano Castro da Silva

Enderson Fonseca de Brito

Ewerton de Souza Cruz

Geremias Ribeiro da Silva

Igor Fernando da Silva Ribeiro

Izaque Francisco de Santana Neto

Johnson Alves Barbosa

Kaio Wuellington Cardoso dos Santos

Moisés da Silva Lira

Pedro Ramos de Carvalho Neto

Roney Marinho Machado

Wellington Pereira Marques

Com informações da assessoria

Deixe uma resposta