Funcionárias da Record denunciam repórter por assédio e difamação

Funcionárias da Record denunciam repórter por assédio e difamação

Gérson de Souza, um dos repórteres mais conhecidos da RecordTV, foi denunciado por pelo menos 12 mulheres da emissora por assédio sexual e difamação. A maioria das denúncias vem de colegas de trabalho no Domingo Espetacular.

Somente nesta semana, sete denúncias foram feitas ao departamento de Recursos Humanos. Na última quinta-feira, 23, sob orientação e assistência jurídica da Record, duas mulheres registraram Boletim de Ocorrência por assédio sexual e difamação, e em seguida, cinco mulheres também prestaram queixa contra o repórter de 60 anos. As informações são do Notícias da TV.

Gérson de Souza nega as acusações e afirma que as denúncias não passam de um “revanchismo” de uma das vítimas.

“Não houve nada, não assediei ninguém”

Em uma entrevista, uma das vítimas relatou que no último dia 8 estava sentada em sua mesa na Redação, na Barra Funda, em São Paulo, quando foi assediada.

“Ele chegou por trás e me beijou na boca. Ficou mostrando a língua e saiu dizendo que roubado era mais gostoso. Foi nojento”

A jornalista também relatou que as inconveniências por parte do repórter ocorrem há anos, mas que só denunciá-lo depois que o profissional começou a “difamá-la”.  “Ele começou a gritar na Redação que eu era incompetente, que meu trabalho é uma bosta”, lembra.

O repórter confirma a discussão na Redação e diz ter reclamado com a chefia sobre a qualidade das pautas da jornalista.

“Estou vendo isso como revanchismo. Tenho certeza de que ela está reagindo a uma observação que fiz sobre a qualidade do serviço dela”

Ele ainda diz ser “de uma época em que se brincava [com mulheres]”, mas nega que tenha assediado as colegas. “Isso é um grande mal-entendido”. Ainda segundo o portal da UOL, a RecordTV confirma que está apurando denúncias de assédio, mas não revelou nomes nem números. Diz também que orientou as vítimas a procurarem as autoridades.

Deixe uma resposta