’09/12/2019’

Susam lança campanha de luta contra Hepatites Virais, no AM

Susam lança campanha de luta contra Hepatites Virais, no AM

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) lança, no próximo mês, a campanha ‘Julho Amarelo’, em alusão às medidas de prevenção contra as Hepatites Virais do Estado do Amazonas. A campanha é realizada pela Coordenação Estadual de IST/AIDS e Hepatites Virais da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD).

De acordo com a coordenadora estadual de IST/AIDS, Dessana Chehuan, a abertura oficial da campanha será no dia 5 de julho, na FMT-HDV, com a disponibilização de exame de elastografia para avaliar as doenças hepáticas.

“As hepatites virais são doenças silenciosas de evolução lenta e que na maioria das vezes progridem para doenças graves que acometem principalmente o fígado. Com a elastografia, vamos classificar e tratar de acordo com o estágio da doença”, disse ela.

Durante a campanha, a Coordenação Estadual de IST/AIDS e Hepatites Virais vai disponibilizar 49,8 mil Testes Rápidos para Hepatite B; 45,8 mil para Hepatite C; 366.881 preservativos masculinos; e 100 mil folders informativos sobre as doenças.

As ações vão ser intensificadas também nos 61 municípios do interior do Estado que já realizam os testes rápidos para Hepatites B e C, sendo que Atalaia do Norte, Coari, Eirunepé, Guajará, Tabatinga, Tapauá e Tefé possuem Serviço de Assistência Especializada para as Hepatites Virais.

Segundo a coordenação estadual de IST/AIDS, nos últimos 10 anos o Amazonas registrou aproximadamente 15,8 mil casos de hepatites virais. Destes, 40,8% de Hepatite B; 16% de Hepatite C; e 7% de Hepatite D. Os municípios que registraram as maiores taxas de incidência das Hepatites B, C e D no ano de 2017 foram: Anori, Boca do Acre, Carauari, Coari, Codajás, Eirunepé, Fonte Boa, Guajará, Humaitá, Itacoatiara, Lábrea, Manaus, Manacapuru, Presidente Figueiredo, Santa Isabel do Rio Negro, Tapauá e Tefé.

As Hepatites B, C e D podem ser transmitidas por meio da relação sexual sem proteção, transfusão de sangue e derivados contaminados, compartilhamento de material para uso de drogas (seringas, agulhas e cachimbos), materiais cortantes e perfurantes como alicates de unha, entre outros.

Com informações da assessoria

Deixe uma resposta