’15/12/2019’

Polo da Defensoria no Médio Solimões vai alcançar 154,8 mil pessoas

Polo da Defensoria no Médio Solimões vai alcançar 154,8 mil pessoas

Com sede em Tefé, polo será inaugurado no dia 15 de julho

A Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE/AM) inaugura no próximo dia 15 de julho o Polo de Atendimento do Médio Solimões – José Martins. Com sede em Tefé (a 523 quilômetros de Manaus), a unidade atenderá também os moradores de Jutaí, Maraã, Juruá, Uarini, Alvarães e Fonte Boa, alcançando uma população de 154.873 habitantes, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com mais este polo, o quarto inaugurado pela Defensoria em dois anos, os serviços de assistência jurídica prestados pela instituição chegam a 63,8% do total da população do estado. A inauguração ocorrerá às 10h, na sede do polo, na Rua Monteiro de Souza, 629, Centro de Tefé, com a presença de diversas autoridades do município e do Estado.

O Polo do Médio Solimões estará sob a coordenação da defensora pública Márcia Milani e contará também com os defensores Juliana Maia Antoniassi, Murilo Menezes, Danilo Garcia, Gabriela Gonçalves e Saelli Miranda Lages, que estão entre os sete defensores que tomaram posse no dia 7 de junho, em cerimônia realizada na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam).

O defensor geral, Rafael Barbosa, afirma que a inauguração dos polos do interior, como o de Tefé, são a concretização do sonho de fazer da Defensoria uma instituição efetivamente presente nos municípios do estado.

“Chegar a Tefé com a estrutura que a Defensoria está montando é a realização de um sonho. Tenho certeza de que o Polo do Médio Solimões irá proporcionar aos cidadãos do interior dignidade, respeito e acesso efetivo à Justiça. Os defensores públicos estão ávidos para ter contato com a população e suprir esse período em que, por questões exclusivamente orçamentárias, estivemos ausentes”, ressalta.

Interiorização – A inauguração de mais um polo faz parte do processo de interiorização da Defensoria Pública, que desde 2017 vem investindo na presença permanente e de forma estruturada nos municípios do interior, com a implantação de polos de atendimento.

Com a interiorização da DPE-AM, a população do interior do Amazonas já conta com três polos, que atendem as regiões do Baixo Amazonas, Médio Amazonas e do Madeira. O primeiro a ser inaugurado foi o Polo do Baixo Amazonas, em 2017. Com sede em Parintins, o polo atende também Nhamundá, Barreirinha e Boa Vista do Ramos.

Em 2018, foi inaugurado o segundo, o Polo do Médio Amazonas, com sede em Itacoatiara, que atende também os moradores de Rio Preto da Eva, Itapiranga, Silves, Urucará, São Sebastião do Uatumã e Urucurituba.

O terceiro polo está em funcionamento desde abril de 2019, quando foi inaugurado o Polo do Madeira, com sede no município de Humaitá, e que atende ainda a população de Apuí, Borba, Manicoré, Nova Olinda do Norte e Novo Aripuanã.

Até 2020, serão sete novos polos da Defensoria no interior, além dos três em operação e do quarto, a ser inaugurado em Tefé no dia 15. Também está prevista para o segundo semestre a inauguração do Polo do Alto Solimões, em Tabatinga. Com mais este polo, os serviços da Defensoria Pública estarão ao alcance de 76% da população do Estado, um total de 975.625 habitantes.

Homenagem – Como vem ocorrendo em todos os polos da Defensoria no interior, a instituição homenageará um cidadão da região com histórico de atuação marcante e positiva, batizando o Polo do Médio Solimões com seu nome.

O homenageado desta vez será o professor, tabelião e agente de endemias, já falecido, José Martins Ferreira. Estudioso e autodidata em diversas áreas de atuação, além das carreiras que exerceu ao logo da vida, José Martins também participava da Maçonaria, tendo recebido o grau de Mestre Maçon em 1982.

Martins Ferreira foi ainda o primeiro presidente da Cooperativa Agrícola Mista de Tefé (Coamite), presidente do Humaitá Atlético Clube e um dos fundadores do Lions Clube. Foi, ainda, o criador da bandeira que é símbolo oficial do município.

Após sua aposentadoria, em 1990, continuou colaborando com seu trabalho no Sindicato dos Trabalhadores da Justiça (SINTJAM), em Manaus, e orientando quem o procurava para tirar dúvidas sobre as áreas em que atuou profissionalmente.

Deixe uma resposta