Os dez minutos malucos que devem tirar o Liverpool do G-4 da Premier League

Os dez minutos malucos que devem tirar o Liverpool do G-4 da Premier League
Foto: reprodução.

Em crise, o Liverpool fazia sua melhor partida pela Premier League em algum tempo. O time dominava o Leicester City, então terceiro colocado da competição, deixava poucos espaços defensivamente e já havia aberto o placar, com belo gol de Salah e assistência de Roberto Firmino. Mas bastaram dez minutos para o inferno astral dos comandados de Jurgen Klopp voltar à tona.

Tudo parecia caminhar para uma vitória dos Reds. Por mais que o time não ganhasse nenhuma posição com o resultado, serviria para acalmar as coisas em Anfield, antes do duelo decisivo contra o RB Leipzig pela Liga dos Campeões.

O jogo, aparentemente controlado, tomou contornos de tensão ao Thiago Alcântara derrubar Harvey Barnes próximo a área, aos 75 minutos. O árbitro Anthony Taylor, então, após protesto dos jogadores do Leicester, foi ver o lance no VAR para um possível pênalti do hispano-brasileiro. A jogada era duvidosa, mas a torcida do Liverpool respirou aliviada, já que a revisão determinou que a falta teria acontecido fora da área.

Tiro e queda: Maddison cobrou a falta, aquelas bolas complicadas para a defesa, alçadas a meia-altura na área, em que um desvio pode matar o goleiro. Amartey, que aparecia na pequena área, mesmo sem desviar, furou, tirou Alisson da jogada e a bola morreu dentro do gol… até o bandeirinha assinalar impedimento do jogador do time da casa.

Poucos segundos depois, o VAR revisou a jogada e determinou que, por milímetros, um pé de Firmino dava condição ao lateral. O Leicester empata o jogo: o Liverpool teria que remar tudo de novo – e havia sido uma enorme dificuldade para abrir o placar. Mas as trapalhadas da defesa dos Reds não parariam aí.

Tielemans tentou lançamento na direção de Barnes, três minutos depois. A bola deveria ficar para o recém-chegado Ozan Kabak, mas Alisson, em clima carnavalesco, talvez, mais uma vez fantasiado de Karius, saiu em pânico do gol, atrapalhou o zagueiro e não conseguiu pegar em cheio na bola… que ficou limpa para o Jamie Vardy virar o jogo, sem goleiro.

Com a confiança no chão, Alexander-Arnold, quatro minutos depois, deu espaço para que Barnes aparecesse com liberdade pelo lado esquerdo do ataque dos donos da casa para marcar o terceiro, aos 85. Era o atacante fechando o placar de mais uma derrota do Liverpool contra os times da parte de cima do campeonato.

Agora, basta que o Chelsea empate contra o Newcastle, nesta segunda-feira (15), ou que o West Ham vença o Sheffield, no mesmo dia, para que o Liverpool feche a 24ª rodada da Premier League fora do G-4 e da zona de classificação para a Liga dos Campeões da Uefa. Muito pouco para o atual campeão da competição, mas que parece, cada vez mais, procurar meios de deixar pontos pelo caminho. Neste sábado, bastaram dez minutos.

————–

Fonte: Terra | Futebol

Deixe uma resposta