Presidente do TRE, Aristósteles Thury, morre vítima da Covid-19

Presidente do TRE, Aristósteles Thury, morre vítima da Covid-19
(Foto: Raphael Alves)

Faleceu na tarde deste domingo, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas, desembargador Aristósteles Thury, vítima da Covid-19. O desembargador foi internado em Manaus e posteriormente no hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo, mas não resistiu às complicações da doença.

Desembargador Aristóteles Thury

O desembargador Aristóteles Lima Thury estava com 71 anos e era graduado em Direito pela Universidade Federal do Amazonas (1976) e pós-graduado em Direito Penal e Direito Processual Penal pela Fundação Universidade do Amazonas (2000).

Tomou posse no cargo de juiz do Tribunal de Justiça do Amazonas em 1980, atuando em comarcas do interior do Estado. Em 1991 foi promovido a juiz da capital.

Em 2002 foi admitido membro da corte do Tribunal Regional Eleitoral como Juiz de Direito da classe dos magistrados, onde permaneceu por quatro anos. Foi, ainda, membro do órgão colegiado do Programa de Proteção às Vítimas e Testemunhas Ameaçadas – PROVITA/AM. Em 2005, assumiu como 1º Diretor da Escola Judiciária Eleitoral do TRE/AM.

Em 2008, foi eleito, pelo critério de merecimento, desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas.

Um ano mais tarde, assumiu a Presidência da Associação dos Magistrados do Estado do Amazonas (AMAZON), sendo reeleito para o cargo em 2011. Em 2010 foi designado membro da corte do Tribunal Regional Eleitoral como Substituto da classe dos Magistrados (Desembargador), onde permaneceu por um período de quatro anos.

Foi presidente da comissão que coordenou o concurso público do TJAM, em 2012.

Assumiu, em 2014, a Vice-Presidência do Tribunal de Justiça do Amazonas, permanecendo na função e assumiu o cargo de Corregedor-Geral de Justiça, entre julho de 2016 e julho de 2018. Em 2020, foi eleito presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM) cujo mandado se encerraria em 2022.

O desembargador Thury também traz em seu currículo a experiência de coordenar os Juizados Especiais Cíveis e Criminais da Capital e do Interior, função para o qual foi designado em 2015. Ao longo de sua carreira de magistrado, também lecionou as disciplinas de Direito Penal e Processual Penal em diversas Faculdades do Amazonas.

Nota de Pesar do Tribunal de Justiça do Amazonas

————–

Fonte: Portal D24AM.

Deixe uma resposta