Defensoria investiga se pacientes com Covid foram amarrados por falta de sedativo no interior do AM

Defensoria investiga se pacientes com Covid foram amarrados por falta de sedativo no interior do AM
Pacientes são amarrados a macas em Parintins, no Amazonas. — Foto: Arquivo pessoal

A Defensoria Pública investiga se pacientes com Covid-19 foram amarrados por falta de sedativo no Hospital Municipal Jofre Cohen, em Parintins, no interior do Amazonas.

Eles passaram o fim de semana amarrados nas próprias macas, com nós improvisados por gaze. Um denunciante afirmou que acabou o sedativo usado na intubação. Os pacientes estavam inconscientes, intubados e em estado grave.

“Com toda certeza, a Defensoria vai oficiar a Prefeitura de Parintins, mas também a direção do hospital, para pedir esclarecimentos sobre o fato que as imagens retratam. E aí, a depender dessa resposta, a gente vai sim analisar e considerar sim a propositura de ação judicial”, informou o defensor público Rafael Barbosa.

A intubação é um procedimento que visa preservar a respiração em quadros de complicação respiratória grave, como as que acontecem com os pacientes de Covid. Com isso, o paciente passa a respirar com auxílio mecânico.

Antes da pandemia, os hospitais do Amazonas consumiam 800 ampolas por mês de um dos medicamentos usados para sedação. Com a nova explosão de casos de Covid, o número subiu para 28 mil ampolas em dezembro, e 50 mil em janeiro, quando estado viveu o momento mais crítico.

Hoje, o Amazonas consome mais da metade (54%) do produto comercializado no Brasil. Há receio pela falta do produto no mercado por causa do segundo pico da pandemia.

“Nos preocupa a produção nacional porque, se repetir em outros estados o que aconteceu aqui no estado do Amazonas, nós podemos ter um desabastecimento nacional se a indústria farmacêutica não aumentar sua produção”, informou o diretor da Central de Medicamentos do Amazonas (Cema), Cláudio Nogueira.

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) afirmou, em nota, que no sábado recebeu um pedido de medicamentos de Parintins e no mesmo dia abasteceu o município com medicamentos para sedação solicitados. Além disso, a SES afirmou que não houve relatos oficiais sobre os fatos narrados.

A SES-AM esclarece ainda que, nesta terça-feira (23) uma força-tarefa integrada por profissionais de órgãos das esferas estadual, federal e municipal estará em Parintins para verificar o motivo da alta demanda de internações nos hospitais locais e para apoiar o município num plano de redução das internações e reorganização da rede de assistência.

Até esta segunda (22), Parintins registrava mais de 8,2 mil casos e Covid, e 260 mortes. Em todo o Amazonas, mais de 10,5 mil pessoas já morreram com Covid, e mais de 307 mil foram infectadas.


Fonte: G1 Amazonas

Deixe uma resposta