Blogueira que estava desaparecida é encontrada esquartejada dentro de saco plástico

Blogueira que estava desaparecida é encontrada esquartejada dentro de saco plástico

A angústia da família de Ana Gabriela Santos Ribeiro, 27 anos, blogueira que estava desaparecida há quase um mês, terminou da pior maneira possível. Gaby, como era conhecida, teve a identidade confirmada pelo Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IMLNR) após seu corpo, que foi esquartejado e deixado em um saco plástico num matagal, ser encontrado pela Polícia Militar no bairro de Boca da Mata, região de Cajazeiras, na quinta-feira (4). A jovem que, de acordo com a família, teve braços e pernas cortados, teria sido vista pela última vez com vida na companhia de dois suspeitos, desconhecidos pelos familiares. A blogueira deixou um filho, de nove anos, que está sob os cuidados da avó.

Não há confirmações oficiais da polícia, mas a principal linha de investigação é que Gaby tinha relacionamento amoroso com dois traficantes de drogas, que eram rivais. Sua mãe, a copeira Ana Cristina Santos, 50, disse não saber se esse seria de fato o motivo, mas confirmou que ela estava envolvida com criminosos. “Estão dizendo que ela namorava traficante, mas eu não sei se é verdade. Minha filha mudou comigo um tempo atrás, deixou de me contar as coisas e ela estava envolvida com gente ruim. Eu falava para ela fugir disso, que esse tipo de coisa não terminava bem e fizeram isso com ela”, afirmou Ana, aos prantos, lembrando dos conselhos que dava à filha.

Muito abalada com a confirmação da morte, Ana Cristina descreveu como passou o último mês à procura de informações sobre ela e a dor de descobrir o falecimento de Gaby. Ela afirmou que ainda não encontrou forças para ir até o IML liberar o corpo para o enterro. “Eu sou uma mulher completamente destruída, eu só tinha uma filha e colocaram ela em um saco, como se não fosse nada. Você sabe o que é isso? Quando ela desapareceu, eu estava angustiada, desesperada, mas tinha esperança de achar ela viva. Agora, eu não sei mais o que fazer, não consegui ir enterrar minha filha ainda”, disse Ana, que revelou que desde o desaparecimento de Gaby tem sobrevivido à base de remédios que toma para se acalmar e conseguir dormir.

Ana tinha Gaby como uma parceira, uma amiga para todas as horas. Segundo ela, sua filha a tratava da melhor maneira possível e sempre ajudou em casa financeiramente mesmo quando estava grávida, aos 17 anos. A boa relação que mantinha fez com que a mãe se sentisse ainda mais afetada pela dor. “Eu e ela éramos amigas, parceiras mesmo. A gente se cuidava, a gente se amava. Ela mudou as pessoas que se relacionava, se envolveu com gente perigosa. Mas, pra mim, sempre foi uma boa menina, amorosa. Eu não sei o que eu faço, tô desnorteada. Como vou viver sem abraçar, sem poder beijar a minha menina?”, perguntou.

Temor

De acordo com a mãe, o temor de que a filha estivesse morta era muito grande. De certa forma, ela já sabia que Gaby tinha morrido porque uma amiga teria postado, ainda em fevereiro, anunciando a morte da blogueira pouco depois. Ela acredita que essa amiga já sabia da sua morte desde o dia 15 de fevereiro, mas não quis admitir. “Paulinha, uma amiga dela, um dia depois da minha menina desaparecer, postou nas redes sociais que ela tinha morrido. Agora, como ela sabia? Como ela sabia que Gaby tinha morrido? Eu fui atrás, perguntei a ela, mas ela não disse, não me contou. Aí, eu já sentia a dor da morte dela, mas não queria acreditar, mãe não quer acreditar que perdeu sua filha”, relatou.

Ana descreve Gaby como uma filha amada e querida. “Gaby era alegre, amava o filho, a mãe. Era trabalhadora, uma menina cheia de sonhos e que desde nova mostrou ser uma pessoa boa, mas que foi iludida por esse caminho que leva tantos jovens para morte. Não é porque ela morreu dessa forma que ela era do mal, ela não merecia isso. Gaby era alegria”, destacou.

A autoria e a motivação do crime vão ser apuradas pela Polícia Civil.


Fonte: Am Post.

Deixe uma resposta