Rapper manauara lança EP com canções inspiradas em poesias e superação

Rapper manauara lança EP com canções inspiradas em poesias e superação
O trabalho conta com oito músicas disponíveis no Youtube (Reprodução/ Divulgação)

A rapper manauara Gabeax lançou nessa sexta-feira, 16, o seu primeiro EP. Com apenas 22 anos, Gabriela Assis traz no registro intitulado de “Ardido” oito canções que falam sobre experiências pessoais, momentos difíceis e, principalmente, transformar momentos críticos em superação e transformação.

“Esse trabalho não tem um público-alvo só. Ele fala muito das minhas experiências, que podem ser semelhantes com as de alguém, e é por isso que digo que vai muito de quem ouve a música e se identifica. Mas, a principal mensagem desse trabalho é de fazer de alguns momentos difíceis, que parecem ruins, em algo bom. Muitas vezes, o que parece o fim, pode ser um impulso para o recomeço”, conta a rapper.

Talento e inspiração

Gabeax conta que o talento para arte e, principalmente, para a música vem desde a infância, quando o adolescente tem o dom para compor e escrever poesias que começou a aflorar. O rap entrou de vez na vida da jovem artista, em 2105, quando ela foi morar com a família em Florianópolis, Santa Catarina, no Sul do País.

“Em ‘floripa’, eu comecei a ir para as batalhas que acontecem entre os rappers e lá encontrei as pessoas profissionais. Foi então que fiquei mais próximo disso, me inspirei, e na volta a Manaus decidi tentar e levei minhas composições para profissionais da música. E todas as músicas do EP “ardido” são uma junção dessa trajetória”, explica.

Apesar da pouca idade, Gabeax tem contato com a música desde bebê, isso porque ela é filha de músicos, o que fez o mundo das canções ser algo presente no cotidiano da artista. Cantoras como Cyntia Luz e Flora Matos também são influências musicais na carreira da artista.  

Apesar do rap ainda ser visto como um estilo predominantemente masculino, as mulheres têm ocupado cada vez mais este estilo musical que imprime autenticidade. Vozes de mulheres como Linn da Quebrada, Yzalu, Flora Matos, Duda Raposo e Negra li rompem barreiras e promovem a equidade de gênero.

“Meus pais são minha maior inspiração. Eles tocam em bandas desde antes do meu nascimento. O resto a gente vai ouvindo e se identificando, tem muita cantora maravilhosa e rappers também”, pontua Gabeax.

A rapper considera o apoio do público local fundamental para os artistas (Reprodução/Instagram)

Falta de apoio

A rapper chama atenção para a falta de apoio. Ela lamenta a invisibilidade de muitos artistas e jovens talentos locais. “As pessoas têm a mania de apoiar a galera mais de fora ou até mesmo aquele que já tem reconhecimento. Parece que é difícil apoiar, divulgar, incentivar. Tem tanta gente talentosa aqui que não aparece, não tem suporte da mídia”, relatou.

Para a cantora, além do fundamental apoio da família, é necessário que os veículos locais abram mais espaço para quem está começando. Em Manaus, por exemplo, ela considera um território árduo para arte, ainda que seja um berço de muitos talentos e gêneros.

“É uma pena ainda ver que a arte não é tão valorizada como deveria. Eu tenho o desejo de ver esse povo do norte ir além, quero que sejamos vistos e eu vou levar nosso potencial para outros cantos. Só peço que as pessoas se toquem, que precisamos apoiar uns aos outros”, desabafou.

O novo trabalho da rapper manauara já está disponível no Youtube. “Foi um trabalho feito com muita dedicação, mesmo com a pandemia conseguimos finalizar e eu estou muito feliz, espero que vocês gostem. É um trabalho para todos os públicos”, finaliza.


Fonte: Revista Cenarium

Deixe uma resposta