‘Homofobia e machismo’, afirmam especialistas sobre repercussão negativa de selinho e nudez no BBB 21

‘Homofobia e machismo’, afirmam especialistas sobre repercussão negativa de selinho e nudez no BBB 21

MANAUS – Um selinho entre Fiuk e Gil, participantes do Big Brother Brasil (BBB-21), está repercutindo nas mídias e redes sociais. Ao entrar para o top 5 do programa, os dois tiraram as roupas e antes de pularem na piscina, eles trocaram um selinho para comemorar a não eliminação no paredão. Apesar de muitos internautas e telespectadores se divertiram e levarem de maneira leve a atitude dos amigos, também houve uma grande quantidade de pessoas que não aprovou a brincadeira, já considerada um momento icônico do reality.

Para o representante da casa de acolhimento LGBTQIA+ Casa Miga, Lucas Britto, muito dos comentários feitos em tom de ofensa e demonstrando homofobia contra os participantes se dá por conta machismo. Ele pondera que se fossem duas mulheres, por exemplo, a repercussão até existiria em tamanha proporção, porém com viés um tanto quanto diferente.

“O machismo aceita o beijo de duas mulheres que sejam amigas, porque o machismo autoriza, mas a amizade entre dois homens vai ser vista como algo ruim, porque mexe no topo da cadeia. Na supremacia do homem cis hétero e de como ele rege a sociedade”, explica Lucas.

A brincadeira movimentou as mídias nesta segunda-feira (Reprodução/Tv Globo)

Para o psicólogo Adan Silva, a questão se resume única e exclusivamente em “homofobia pura”. O psicólogo relembra que não é a primeira vez que acontece um episódio em que resulta em comentários homofóbicos envolvendo dois homens durante o programa. Em janeiro deste ano, os participantes Lucas e Gilberto protagonizaram o primeiro beijo gay da história do BBB.

“No caso deles, a homofobia aconteceu dentro do programa quando foram questionados por alguns participantes sobre a sexualidade de cada um. As pessoas tentam invisibilizar a bissexualidade, são homofóbicas, objetificam o corpo da mulher, seja ela lésbica ou não, é uma constante luta para mudar essas questões”, comenta Adan.

Sobre a seminudez ele comenta. “Corpos são corpos, quem sexualiza são as pessoas por meio da moral que elas possuem. Quem vê maldade em uma brincadeira, é, geralmente, o indivíduo que vê nos corpos humanos uma coisa ruim e transforma todo mundo em ‘demônio’. Uma bobagem que só tem lógica dentro de uma ótica judaico-cristã fundamentalista, todo mundo nasce nu”, avalia o psicólogo.

Ele complementa. “Tem culturas que as pessoas andam nuas, então a maldade e leitura demonizada de corpos foi construída e tudo que se constrói, se desconstrói. Não é isso que faz de um ser humano mais ou menos ruim. É uma moral hipócrita, pois todo mundo que vê corpos nus, mantém relações sexuais. Os valores que deveríamos estar problematizando é de um genocida na presidência que não corre atrás de vacina para gente, é desemprego, é a fome que é uma realidade”, pondera o especialista.

Censurado

O apresentador do programa, Thiago Leifert, também não ficou de fora das polêmicas pós “selinho e nudez’ dos brothers. Ao publicar um post aonde aparecia a icônica cena dos participantes, o apresentador teve a foto apagada da rede social Instagram nesta segunda-feira. A censura deixou o jornalista e apresentador irritado que logo manisfetou a indignação nas redes sociais com uma simples frase. “O pessoal não gosta de cachorrada e nem de dois homens dando selinho”, reclamou.

Após o reclame, Thiago ainda prometeu que a cena vai ser exibida na TV aberta e ironizou. “Bom, já que o Instagram não gosta da brincadeira… eles estavam se cobrindo, eles não estavam nem pelados na minha postagem. E também não gostam de um selinho,não tem problema. A boa e velha TV aberta, coitadinha da TV aberta, tão velhinha, vai mostrar pra vocês hoje”, prometeu.

Prints do perfil de Thiago Leifert (Reprodução/Instagram)

Rendeu até discurso

Na manhã desta segunda-feira, 26, a vereadora Glória Carrate, líder do PL, discursou na Câmara dos Vereadores de Manaus sobre o ocorrido. Na ocasião, a vereadora repudiou a atitude dos participantes e classificou como “vergonha para a sociedade e famílias brasileiras”.

Glória falou ainda sobre valores invertidos e banalização. “Eles dando ‘bitoquinha’, é uma vergonha para as famílias do Brasil. Conto com a colaboração dos outros vereadores, estamos aqui primando sempre pelo bom comportamento e criação dos nossos filhos, uma vez que tudo está banalizado. Os valores se inverteram e a Globo mostrando isso que sai nas redes sociais e as crianças vendo. E não é só nem as crianças, são as famílias que perderam o respeito. Fica meu repúdio à Rede Globo que se acha a dona de tudo”, repreendeu a vereadora.

A fala da política também rendeu comentários nas redes sociais. A maioria, desaprovando a atitude da vereadora. “Tanta coisa para se preocupar com a cidade de Manaus e fica dando palpite em reality”, comentou um internauta.

A vereadora Glória Carrate se pronunciou sobre o episódio (Reprodução/InstagramFofoqueiAM)

“Poço de homofobia”

Para o Adan, a Câmara Municipal de Manaus seria repleta de falas e iniciativas homofóbicas. “Ali é um poço de homofobia, além da fala da vereadora, teve recentemente a tentativa do vereador Raif Mattos, de incluir o estudo de gêneros na escola. Já não me surpreende em nada. São poucos que fazem um contraponto”, diz o psicólogo.

O responsável pela Casa Miga completa: “Tantas pessoas morrendo em Manaus de Covid-19, o presidente genocida sendo ovacionado, os casos aumentando, o prefeito sendo omisso sobre suas responsabilidades e a vereadora quer falar de um selinho do BBB? Porque nudez na TV existe desde sempre, mas sendo dois homens afetuosos um com outro vira um problema. Homofobia do dia a dia”, finaliza Britto!

Muitos eleitores e internautas reprovaram a fala da vereadora (Reprodução/ Instagram)

Fonte: Revista Cenarium

Deixe uma resposta