Anvisa alerta para riscos do paracetamol após vacina da Covid-19: “Hepatite medicamentosa”

Anvisa alerta para riscos do paracetamol após vacina da Covid-19: “Hepatite medicamentosa”
As principais reações observadas após a vacinação contra o coronavírus são febre, dores de cabeça e no corpo, que variam de leves a moderadas. Porém, esses efeitos devem desaparecer em poucos dias (Foto: Jaap Arriens/NurPhoto via Getty Images)
As principais reações observadas após a vacinação contra o coronavírus são febre, dores de cabeça e no corpo, que variam de leves a moderadas. Porém, esses efeitos devem desaparecer em poucos dias (Foto: Jaap Arriens/NurPhoto via Getty Images)

O uso indiscriminado de paracetamol para alívio de dores e febre após a vacinação contra Covid-19 pode levar a eventos adversos graves, incluindo hepatite medicamentosa e morte, de acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“[O paracetamol deve ser usado com cautela] sempre observando a dose máxima diária e o intervalo entre as doses, conforme as recomendações contidas na bula, para cada faixa etária”, informou a Anvisa.

A Gerência-Geral de Monitoramento de Produtos Sujeitos à Vigilância Sanitária recomenda aos profissionais de saúde e à população que notifiquem à Anvisa os casos de reações indesejadas após o uso do medicamento.

As principais reações observadas após a vacinação contra o coronavírus são febre, dores de cabeça e no corpo, que variam de leves a moderadas. Porém, esses efeitos devem desaparecer em poucos dias.

Confira as reações mais comuns das vacinas contra a Covid, de acordo com a bula de cada medicamento, segundo a Anvisa.

Oxford/Astrazeneca

  • Sensibilidade
  • Dor
  • Sensação de calor 
  • Cansaço
  • Calafrios
  • Dor de cabeça
  • Enjoo

CoronaVac

  • Dor de cabeça 
  • Cansaço
  • Dor no local da aplicação

Indicações de uso correto

De acordo com a Gerência-Geral de Monitoramento, o paracetamol vem sendo utilizado para aliviar sintomas de eventos adversos pós-vacinais, como febre e dores de cabeça. 

No entanto, a utilização incorreta pode causar eventos adversos graves, incluindo hepatite medicamentosa, quando o uso é prolongado ou acima da dose máxima diária.

Episódios da doença foram identificados em pacientes que se medicaram com o chamado “kit Covid”, um coquetel de medicamentos sem comprovação científica em caso de Covid-19, defendido fortemente pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Deve-se ter em mente que para qualquer medicamento existe um risco associado ao seu consumo. Por isso, é fundamental que o produto seja utilizado de forma correta, seguindo as recomendações da bula e as orientações dos profissionais de saúde.

Para mais informações sobre as recomendações de uso dos medicamentos, consulte a bula disponível no Bulário Eletrônico da Anvisa (Foto: Mario Tama/Getty Images)

Confira abaixo as informações sobre a dose máxima diária de paracetamol para cada faixa etária, conforme a bula do medicamento:

  • Adultos e crianças acima de 12 anos: dose máxima de 4 gramas em um dia
  • Crianças entre 2 e 11 anos: não devem ser utilizados mais de 50-75 mg/kg em um dia (24 horas)
  • Para crianças abaixo de 11 kg ou 2 anos ou com menos de 20 kg: consulte o médico antes de usar

Para mais informações sobre as recomendações de uso dos medicamentos, consulte a bula disponível no Bulário Eletrônico da Anvisa.

Notificação deve ser feita

Segundo a agência, ocorrência de quaisquer efeitos indesejados após a utilização de paracetamol e de outros medicamentos deve ser imediatamente registrada por meio do VigiMed, sistema da Anvisa destinado às notificações de eventos adversos para toda a população.

Já as suspeitas de desvios de qualidade (queixas técnicas) referentes a fármacos em instituições de saúde devem ser registradas por meio do Notivisa.

A Anvisa orienta que a notificação contenha um conjunto de informações, como a identificação detalhada do medicamento suspeito, dados do fabricante, concentração e lote, bem como a dose e o seu tempo de uso.


Fonte: Yahoo Notícias

Deixe uma resposta