Brasil recebe Copa América e Manaus será uma das sedes

Brasil recebe Copa América e Manaus será uma das sedes
Foto: divulgação.
Foto: divulgação.

A Conmebol anunciou na manhã desta segunda-feira que a Copa América 2021 acontecerá no Brasil, após Colômbia e Argentina terem desistido de sediar o torneio.

No Brasil, um país que já superou os 460 mil mortos pela Covid-19, a CBF topou receber o torneio, que será realizado entre 11 de junho e 10 de julho.

As cidades-sedes serão Natal, Brasilia, Pantanal, Penambuco e Manaus — sim, a capital do Amazonas, símbolo da maior tragédia da pandemia, será uma das sedes do evento. E a final acontecerá no Maracanã.

Em um primeiro momento, o Brasil não era uma opção real, por causa da disputa simultânea do Campeonato Brasileiro. Estados Unidos e até Israel surgiam como alternativas para ‘salvar’ a competição. Mas a proximidade das sedes iniciais fez com que a Confederação Sul-Americana optasse pelo país vizinho. A Colômbia foi retirada da competição por causa das manifestações populares de rua contra o governo que já duram mais de um mês. Foi a primeira a cair fora. A Argentina foi preterida por causa do aumento de casos de contágio do novo coronavírus no país. A AFA (Federação de Futebol da Argentina) parou o futebol argentino. Há uma semana, a Argentina registrava recordes diários de 35 mil casos e 745 mortes por covid.

Ocorre que o Brasil também não controlou sua onda de contaminação da doença. O País continua enfrentando altos e baixos e novas ondas de mortes e contágios, além de novamente ter suas UTIs em alguns Estados em utilização alta, acima dos 80%.  Nas últimas 24 horas, a média móvel de mortes por covid tem a terceira alta seguida e chega a 1.844.

Em março, portanto, há dois meses havia muita preocupação por parte do especialistas em saúde sobre a continuidade do futebol no Brasil. Marcelo Otsuka, especialista da Sociedade Brasileira de Infectologia, via com receio a continuidade do futebol não apenas por causa da bola rolando. Fatores externos, relação entre jogador e a família, e até o comportamento dos torcedores o deixavamm preocupado.

“A grande questão em relação à continuidade dos campeonatos, dos torneios de futebol, ou mesmo de outros torneios, é a questão do controle da doença. A gente observa que, no caso do futebol, os profissionais são realmente testados com uma frequência até acima da média, mas qual é o problema? Eles também têm familiares e pessoas de risco. Se eventualmente desenvolvem a doença e levam para casa, isso representa a chance de complicação para algum familiar. Eventualmente, eles também podem ser infectados em casa ou em algum outro ambiente que não no trabalho.”

A Conmebol vai oficializar os Estados brasileiros que receberão as partidas. Por enquanto, as grandes praças, como São Paulo e Belo Horizonte, por exemplo, não estão no caminho da Copa América. Ao menos não nessa primeira fase da disputa. O Brasil registra mais de 462 mil mortos por covid-19. Toda uma movimentação e estrutura para atender as seleções, são dez ao todo, e suas delegações devem ser montadas nas cidades-sede do Brasil. Torcedores não serão permitidos nos jogos. Mas o Brasil não controla a entrada de sul-americanos em suas fronteiras.

A seleção brasileira está no Grupo B, ao lado de Colômbia, Equador, Peru e Venezuela. Como o Brasil virou país-sede, pode mudar seu grupo para A. A estreia da equipe de Tite estava marcada para o dia 14 (segunda-feira), contra a Venezuela.

“O torneio de seleções mais antigo do mundo fará vibrar todo o continente”, escreveu a Conmebol no anúncio. Existe o interesse por parte da Conmebol que a final seja no Maracanã, com a presença de público. Isso ainda não foi aprovado. No Brasil, as partidas de futebol estão sendo jogadas com portões fechados.


Fonte: Estadão e O Globo

Deixe uma resposta