Vietnã anuncia descoberta de nova variante que combina as cepas indiana e britânica

Vietnã anuncia descoberta de nova variante que combina as cepas indiana e britânica
Crédito: Vinhdav/istockDescoberta variante que é uma combinação da indiana e da britânica
Crédito: Vinhdav/istockDescoberta variante que é uma combinação da indiana e da britânica

O mundo está diante de uma nova variante do novo coronavírus, que tem o poder de transmissão maior que os tipos já conhecidos, de acordo com testes laboratoriais. A cepa descoberta no Vietnã mistura informações genéticas de duas variantes consideradas “de preocupação” pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a indiana e a britânica.

“Mais especificamente, é uma variante indiana com mutações que pertencem à variante do Reino Unido. É muito perigosa”, disse o ministro da Saúde do país, Nguyen Thanh Long, em uma reunião governamental, cuja gravação foi obtida pela Reuters.

De acordo com Long, culturas de laboratório mostraram que a nova variante se multiplica rapidamente. Isso pode explicar o aumento de casos no Vietnã, que até então, vinha controlando bem a pandemia.

Desde o final de abril, o país asiático, que registrava centenas de casos de covid-19 por dia, passou a computar centenas diariamente.

Das 6,4 mil pessoas infectadas no país desde o início da pandemia, quase 3,6 mil foram contaminadas por essa variante em 31 das 63 províncias do país, segundo informaram as autoridades de saúde.

Com uma população de 95 milhões de pessoas, o Vietnã adotou medidas rígidas de prevenção ao coronavírus desde o início. Aplicou quarenta e apostou na testagem em massa da população e no rastreamento de casos.

As mortes causadas pela covid-19 no país até sábado eram apenas 47. Cenário que pode mudar após a descoberta dessa variante, já que o sistema de saúde de lá é precário, conforme a reportagem do Catraca Livre.

Variantes

Até agora, 4 variantes estão no centro das atenções da Organização Mundial da Saúde  (OMS). São elas: a britânica, a indiana, a sul-africana e a brasileira, P.1, descoberta em Manaus. Essas são as cepas consideradas “preocupantes”.

A organização, no entanto, ainda não emitiu um parecer sobre a cepa identificada no Vietnã.


Fonte: Assessoria de Imprensa

Deixe uma resposta