Terminal de abastecimento de Itacoatiara expande capacidade de armazenamento

Terminal de abastecimento de Itacoatiara expande capacidade de armazenamento
DCIM100MEDIADJI_0313.JPG

Após nove meses de obras, chega ao fim a segunda etapa da expansão da TFB – Terminais Fluviais do Brasil, em Itacoatiara, a 270 quilômetros de Manaus. O investimento, promovido pelo Grupo Dislub Equador, teve custo de R$ 50 milhões e ampliou a capacidade de armazenamento de combustíveis de 59.000m3 para 103.000m3.

A TFB foi criada em 2013 com o objetivo de superar as dificuldades de abastecimento no Amazonas e estados vizinhos em decorrência dos períodos de seca no leito do Rio Amazonas. Segundo Humberto do Amaral Carrilho, responsável pelo empreendimento, os navios que trafegavam pela região tinham a capacidade de armazenamento reduzida até pela metade.

“Com a chegada da TFB, o cenário mudou. Por sua localização estratégica, as embarcações trafegam com carga completa em qualquer época do ano, contribuindo com o abastecimento dos estados do Amazonas, Acre, Rondônia, Pará e Mato Grosso ”, ressalta.

Os benefícios, porém, vão além da economicidade na logística de combustível. Com a finalização da obra, a capacidade de abastecimento foi ampliada em 80%. Esse crescimento favorece a chegada de novos players do setor de distribuição de combustível e produtores de derivados de petróleo do mundo a investirem na região.

“A expansão da TFB trará mais segurança no abastecimento regional com redução dos gargalos logísticos e mais competitividade ao mercado que deve refletir em preço ao consumidor”, completa.

Ao todo, 300 empregos diretos e indiretos foram gerados durante as obras. Outros 20 postos de trabalho serão criados com o início da operação. Novos estudos para a terceira fase de expansão da TFB já estão sendo realizados.

“O empreendimento do Grupo Dislub Equador é responsável por centenas de empregos diretos e indiretos, impulsiona a formação de mão de obra qualificada e gera renda para o município. É uma nova realidade, mais próspera e produtiva, para o norte do Brasil”, finaliza Carrilho.

Fonte e Foto: Assessoria de Comunicação

 

Deixe uma resposta