Professores cobram reajuste salarial em manifestações na capital e interior

Professores cobram reajuste salarial em manifestações na capital e interior

rofessores da Rede Estadual de Ensino realizaram uma paralisação de advertência nesta terça-feira (13), em Manaus, e alguns municípios do interior do Amazonas. O ato na capital foi marcado por uma manifestação na Escola Estadual Dom João de Souza Lima, no bairro Cidade Nova, Zona Norte. A categoria pede por um reajuste salarial de 35% para professores e demais servidores da educação.

Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (SEDUC) informou que o canal de negociações das reivindicações da categoria está aberto com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas (Sinteam).

“A Secretaria esclarece que a data-base da categoria já foi garantida pelo Governo para o mês de março. Faltando somente definir o percentual de reajustes. O governo também definiu, para abril, as progressões dos servidores que se especializaram e concluíram os cursos de mestrado e doutorado. O governo também já garantiu para abril o auxílio-alimentação dos servidores da SEDUC-SEDE”, afirmou nota da secretaria.

De acordo com a Coordenadora Geral do Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom Sindical), Helma Sampaio, 70% das escolas estaduais aderiram ao movimento e devem parar as atividades durante todo o dia.

“Escolhemos esta escola [em Manaus] porque já fizemos uma manifestação por falta de merenda escolar aqui”, disse Sampaio.

Ainda conforme a coordenadora, professores e funcionários de escolas de outros municípios do Estado também realizam a paralisação. Segundo ela, Anori, Coari, Manacapuru, Iranduba, Parintins, Tefé, Humaitá, Boca do Acre, Fonte Boa são alguns dos municípios que participam.

“Isto é uma humilhação. Isto não estaria acontecendo se o Governo reajustasse o nosso salário. Em muitas situações, vemos professores tirarem dinheiro do próprio bolso para comprar materiais para as escolas. É uma situação precária também que passamos”, disse a merendeira e membro do Movimento dos Vigias, Auxiliares Administrativos, Merendeiros e Serviços Gerais (Vamseg), Eliana Guedes.

A coordenadora informou ainda que a categoria deve ter uma reunião na Assembléia Legislativa na quarta-feira (14), para tratar sobre as reivindicações. Eles também pretendem fazer uma passeata na Avenida Noel Nutels, por volta das 14h.

Fonte: G1 Amazonas

Foto: G1 Amazonas

Deixe uma resposta