Mais de 1,8 mil servidores municipais efetivos terão reajuste salarial

Mais de 1,8 mil servidores municipais efetivos terão reajuste salarial

Foi publicado na edição 4.606, do Diário Oficial do Município (DOM), desta terça-feira, 28, as leis sancionadas pelo prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, referentes ao reajuste salarial de 4% a aproximadamente 1,8 mil servidores municipais efetivos de diversas categorias.

De acordo com o prefeito, o reajuste salarial é viável devido à saúde financeira do município e o compromisso que tem com todos que trabalham na prefeitura. Ele ressaltou que, durante sua gestão, nunca deixou de efetuar o pagamento de vencimentos, décimos terceiros e datas-bases, honrando o compromisso da administração pública com os servidores municipais.

Virgílio destacou, ainda, que a Câmara Municipal de Manaus (CMM) também aprovou, na última terça-feira, a lei que permite o reajuste salarial de 6% para mais de 10 mil profissionais estatutários, temporários e Agentes Comunitários de Saúde (ACSs), da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). Segundo o prefeito, o reajuste será retroativo a abril, com pagamento previsto para junho.

“Não há nada mais sagrado, do que honrar os vencimentos e proventos de quem trabalha ou é aposentado no município. Mesmo durante o período de recessão econômica, nos mantivemos firmes e em nenhum momento falhamos com nossos servidores. Trabalhamos uma forte política austera, que nos garante poder cumprir nossas obrigações salariais, que incluem esses merecidos reajustes aos nossos servidores. E tudo isso é o resultado de uma prefeitura que faz o dever de casa e mantém suas contas ajustadas, a exemplo de Manaus”, disse o prefeito.

O titular da Secretaria Municipal de Finanças, Tecnologia e Controle Interno (Semef), Lourival Praia, explicou que serão contemplados com o reajuste salarial os servidores efetivos de área não específica da prefeitura e aqueles lotados na Manaus Previdência, Procuradoria Geral do Município (PGM) e os de carreira da Semef.

Ainda segundo Praia, o impacto na folha é de aproximadamente R$ 5,7 milhões até dezembro deste ano, considerando também o valor pago do 13º salário aos servidores. O pagamento será retroativo à data-base de cada categoria.

“Seguimos a determinação do prefeito Arthur Neto e, por isso, trabalhamos duro para mantermos as contas públicas municipais equilibradas. Isso oferece toda a segurança financeira para que possamos reajustar os salários dos servidores”, observou Lourival.

Deixe uma resposta