Com Spice de ‘vilão’, Manaus sofre empate nos minutos finais

Com Spice de ‘vilão’, Manaus sofre empate nos minutos finais
Foto: Josemar Antunes

Em um duelo quente do início ao fim, Manaus e Remo não saíram de um empate em 1 a 1, na Arena da Amazônia, pelo jogo de ida nas semifinais da Copa Verde 2020. 

Com o empate, o Esmeraldino joga por uma vitória simples no jogo de volta, que acontecerá na próxima quinta-feira (18), no Baenão, em Belém. Em caso de empate, a classificação será definida nos pênaltis. 

Jogo movimentado 

O início corrido do primeiro tempo já deu indícios de que o jogo seria bastante movimentado. Já no primeiro minuto, Lucas Siqueira arriscou de fora da área, obrigando o goleiro do Gavião, Rafael, a fazer boa defesa. 

Aos 6, o Manaus abriu o placar. Após falha de Rafael Jansen, Erivélton roubou a bola e faz grande tabela com Gabriel Davis, que deu passe açucarado para Diego Rosa, de carrinho, abrir o placar. 

Aos 30, após bate rebate na área, Vinícius Barba emendou um chutaço de fora da área e Vinícius voou para fazer belíssima defesa, impedindo o Manaus de ampliar o placar.

Clima quente em campo

Antes do fim da primeira etapa, jogadores se estranharam em campo. Mesmo com um jogador do Remo caído no gramado, o lateral-direito do clube paraense, Wellington Silva, arriscou finalização de fora da área. 

A atitude irritou Vinícius Barba e os dois atletas discutiram, gerando um princípio de confusão. O zagueiro do Manaus, Thiago Spice, se intrometeu na “conversa” com um empurrão em Wellington Silva. Tanto o zagueiro do Gavião quanto o lateral do Leão acabaram amarelados. 

Manaus com um a menos 

Com um volume de jogo ainda maior do Remo, o Gavião tinha dificuldades em sair do campo de defesa. Em menos de cinco minutos, os paraenses já haviam criado duas chances claras de gol.

Amarelado no primeiro tempo, Thiago Spice trombou forte com Hélio aos 9 da segunda etapa, pelo lado esquerdo do meio-campo. No choque, o zagueiro deixou o cotovelo na nuca do jogador remista, levando o segundo amarelo e sendo expulso da partida, obrigado o treinador Luizinho Vieira a sacar o atacante Erivélton para a entrada do zagueiro Ramon.

Credito: João Normando/FAF

Empate dolorido 

Nos primeiros minutos com um jogador a menos, o Manaus quase chegou ao segundo gol. Apenas três minutos depois da expulsão, o Gavião chegou a balançar as redes após um desvio de cabeça em cobrança de falta, porém, o autor do desvio estava em posição irregular. 

Acuado no campo de defesa e sem pernas para reagir, o Gavião sucumbiu ao cansaço e acabou tomando o gol de empate. Aos 43, Dioguinho apareceu livre na grande área e bateu cruzado, com Rafael defendendo parcialmente, mas no rebote, Wellington Silva – o mesmo que discutiu com Spice -, livre, completou para gol.

————

Fonte: A Crítica.

Deixe uma resposta