Prisão do deputado Saullo Vianna foi pedida pelo MP-AM mas Justiça negou

Prisão do deputado Saullo Vianna foi pedida pelo MP-AM mas Justiça negou
Foto: Reprodução

Justiça não deferiu o pedido de prisão feito pelo Ministério Público do Amazonas (MP-AM) contra o deputado estadual Saullo Viana, que é um dos alvos da operação “Cachoeira Limpa”, que tem o objetivo de levantar provas que comprovem os crimes de fraude à licitação, peculato, lavagem de dinheiro e de integrar organização criminosa cometidos pelos investigados, que causaram aos cofres públicos do Município de Presidente Figueiredo durante gestão do prefeito Romeiro José Costeira Mendonça (2017 a 2020), que se encerrou em dezembro do ano próximo passado, prejuízo estimado em R$ 23 milhões.

A informação foi dada em nota divulgada pela assessoria de Comunicação do órgão e disse que além dessa foram pedidas, outras prisões.

“O Ministério Público requereu ainda a prisão do Deputado Estadual Saullo Velame Viana, do ex-prefeito, do ex-vice-prefeito, do Secretário Municipal de Finanças, do Presidente da CPLs e dos empresários Rosedilse de Souza Dantas, sócia da empresa RAV Construções e Transporte, atual INCAS Construções; Márcio Frota Barroso, sócio da empresa Engefort Construções, atual Diretriz Engenharia; Paulo Sampaio da Silva, sócio da empresa Amsterdam/SVX Serviços, atual Porto Serviços Profissionais, da qual o Deputado Saullo Viana atuava procurador, em substituição a sua genitora (Célia Viana), entre outros. Ministério Público também requereu o afastamento do cargo do Deputado Estadual, mas a justiça negou os pedidos”, diz trecho da nota.

—————

Fonte: AM Post.

Deixe uma resposta