Advogado acusado de tentativa de feminicídio em Manaus presta depoimento à polícia e nega crime

Advogado acusado de tentativa de feminicídio em Manaus presta depoimento à polícia e nega crime
Advogado acusado de tentativa de feminicídio nega crime em Manaus

O advogado Marcelo Oliveira Gonçalves, de 40 anos, suspeito de tentativa de feminicídio contra a ex-namorada, Teresa Victória Mota Pinheiro, de 22 anos, se apresentou à polícia na tarde desta quarta-feira (24), para prestar depoimento.

Ele nega o crime, e acusa a ex-namorada de ter se auto-mutilado. Segundo a polícia, ele vai ser investigado por tentativa de feminicídio, furto, ameaça e sequestro.

Ele chegou no prédio da Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM) por volta das 13h. Segundo a delegada Deborah Mafra, o depoimento durou mais de duas horas.

Ao sair da delegacia, ele declarou ao G1 que não cometeu o crime. “São falsas as denúncias envolvendo meu nome. Aquelas marcas, algumas ela mesma fez, se automutilou. Tá tudo nos autos, já juntamos as provas suficientes. Todo esse circo montado vai cair por terra, porque o bem sempre vence o mal”, disse.

Segundo o advogado de defesa, Haroldo Malizia Junior, Marcelo teria causado pequenos hematomas na ex-namorada, na tentativa de se defender durante uma briga.

A delegada Deborah Mafra disse que ele nega as acusações, mas cedeu todos os elementos necessários à investigação. “Ele respondeu todo o inquérito que precisávamos. Tomou ciência das medidas protetivas e continuamos as investigações e procedimentos para que a justiça tenha elementos”, contou.

Relembre o caso

Em entrevista ao G1, Teresa Victória contou que havia sido convidada por uma amiga para ir até um churrasco na casa dela. Ela decidiu ir e contou que não imaginava que estaria sendo perseguida pelo ex-namorado. Ela diz que foi ameaçada a ir até a casa do advogado.

Quando chegou à casa do ex-namorado, Victória contou que o advogado saiu e estava no celular supostamente com a pessoa que a perseguia. Ele mandou que ela fosse para o banco de trás e ele sentou no banco do motorista.

“Ele começou a me chamar de vagabunda, de prostituta, de promíscua e disse como eu tinha coragem de sair de casa e não falar para ele. Eu fiquei em choque. Eu não sabia o que responder. Eu refutei e ele tentou ligar o carro. Eu puxei o freio de mão e ele enlouqueceu e veio para cima de mim”, explicou.

Teresa afirmou que foi vítima de tentativa de feminicídio em Manaus. — Foto: Patrick Marques/G1 AM

Ainda segundo Victória, o homem começou a agredi-la de diversas maneiras e, quando ela gritou por socorro, ele a estrangulou e disse “Eu vou te matar”. Em seguida, ela contou que desmaiou e acordou com a vizinha do advogado, que era enfermeira.

“Ela prestou os primeiros socorros e me acolheu na casa dela. Ela ficou comigo até uma ambulância chegar e me acompanhou na ambulância. Ela que me ajudou, de fato”, disse Victória.

Ainda segundo Débora Mafra, após o atendimento no hospital, a vítima foi até a delegacia, onde passou por um exame de corpo de delito e registrou o ocorrido. Nesta segunda-feira (22), ela prestou depoimento na delegacia e solicitou medidas protetivas contra o advogado.


Fonte: G1 Amazonas

Deixe uma resposta